Congelamento de embrião

O congelamento de embrião traz segurança para a égua e seu proprietário, tal qual o congelamento de sêmen traz a segurança ao garanhão.

A etapa inicial do processo se dá da mesma forma que a transferência de embrião: a égua tem seu ciclo estral controlado, é inseminada e passa por uma lavagem uterina para a retirada do embrião. Desta vez, ao invés de ser introduzido no útero da égua receptora, o embrião será congelado pela técnica de vitrificação. A técnica consiste em expor o embrião a soluções contendo diferentes concentrações de substancias protetoras, chamadas de crioprotetores. A idade do embrião é muito importante para que ele possa ser congelado. Uma boa condição é do embrião ter menos que 300 micras de diâmetro, isto é, menos que 3 décimos de 1 (um) milímetro. Normalmente isto acontece até o sexto dia e 12 horas de idade. Após um período de aproximadamente 15 minutos na solução com crioprotetores o embrião está pronto para ser congelado e armazenado no botijão de nitrogênio líquido a -196ºC.

O embrião congelado pode permanecer assim por muitos anos, esperando para ser descongelado. Uma vez decidido que é momento de transferir o embrião que está congelado, basta imergir a palheta em água por alguns segundos para promover o descongelamento e introduzi-lo no útero da égua receptora.

Imagem

centralranchodasamericas.com.br
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.